Foto: J. Batista/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, destacou nesta sexta-feira (24) a reforma política como a principal proposta em análise na Casa. Segundo ele, o sistema proporcional atual está falido, pois permite que, muitas vezes, um candidato a deputado pouco votado possa ser eleito pelos votos de outro mais votado. E aqueles que tiveram uma votação mais expressiva, complementou ele, acabam virando suplentes.

A declaração foi feita em Cuiabá (MT) durante a 6ª edição do Câmara Itinerante. No debate, Cunha ressaltou que “durante as eleições, todos defendem a reforma política, mas, na hora de votar, não há consenso e, por isso, a proposta não sai do papel”.

O presidente reafirmou que vai votar em Plenário, em 26 de maio, a proposta da reforma política (PEC 352/13), tendo ela sido votada antes em comissão especial ou não. Eduardo Cunha justificou o prazo para que algumas mudanças já possam valer para 2016.